A gruta é mais extensa do que a gruta

    follow me on Twitter

    terça-feira, outubro 04, 2011

    Um trabalho menos estranho

    Fui levado ao cinema no "horário mais nobre da estreia", domingo, no início da noite, para ver "Trabalhar Cansa", primeiro longa de Marco Dutra e Juliana Rojas. Na entrada da sala, no Shopping Metrô Santa Cruz, o cartaz trazia uma citação de um crítico estrangeiro que dizia que a obra era uma espécie de encontro entre "O Iluminado" de Kubrick e a obra de Vittorio de Sica. Ao entrar na sala, a exemplo do que ocorreu com outro filme brasileiro que vi em condições semelhantes, "Encarnação do Demônio", o ambiente estava tristemente vazio.

    O texto no cartaz havia reforçado a impressão que eu tive vendo o trailer (não me lembro se na internet ou antes de alguma outra sessão): tratava-se de um filme que abordava as relações de trabalho (dã, olha o título _ talvez uma referência ao livro de poesia de Cesare Pavese?), mas também adentrava com força no suspense, talvez até explorando o sobrenatural.

    Mas, como também observou Inácio Araújo, a quem só fui ler depois de ter visto o filme, há uma hesitação em adentrar mais profundamente nesse mistério. Somos expostos a uma série de eventos sugestivos (o nariz sangrando _ ah, mas é o "tempo seco" _, o bezerro de duas cabeças, a coleira gigantesca, os produtos que desaparecem sem explicação, a parede apodrecendo _ lembra Edgar A. Poe _, a excelente sacada do Papai Noel ativado por movimento, etc., enquanto vários diálogos fazem referência aos antigos locatários do mercadinho, sobre quem persiste a obscuridade), mas nunca se avança muito. Há uma promessa que não é cumprida, e isso é triste. É um defeito sério (para mim, maior que quaisquer problemas de fotografia e som) de um bom filme, que poderia ter ficado muito melhor se o roteiro tivesse sido mais bem trabalhado (reescrever cansa?) ou se tivesse existido o almejo pela clareza, essa coisa tão difícil de alcançar no cinema (eu também já falhei neste quesito, mas não foi de propósito. Será que foi de propósito no filme da dupla?).

    Como essa parte do fime é desprezada, resta o outro lado, o retrato do pesadelo da contemporaneidade, o mundo cão do mercado de trabalho. A classe média é explorada, mas também explora. A humilhante opressão econômica traz à tona o pior de todos. O filme é sufocante nesse sentido, com o único momento de triunfo para a personagem em situação de maior precariedade _ mas mesmo essa rara lufada de ar traz um cheiro podre. Fica uma combinação de medo e ódio diante de uma crueldade estapafúrdia. Passamos por isto (e a câmera do filme passou pela esquina da minha casa). Não tá fácil pra ninguém.

    Para mim, apesar dessa pequena decepção, fica também a alegria de rever, na última cena (previsível e forte), o Eduardo Gomes (gostei também de todo o resto do elenco; ficam aqui meus parabéns para a Gilda Nomacce, premiada em Brasília), ator que estreou diante das câmeras comigo, no meu primeiro exercício de direção e montagem, lá em 2004 ("holy shit, it's the 21st century!"). Recentemente também vi os outros atores do curta, Cássio Inácio e Rogério Brito, trabalhando por aí... Que venha mais.

    ***

    Mas veio, pois a semana trouxe uma excelente notícia: um projeto da Ana Paul, hoje sem dúvida uma das maiores especialistas em dramaturgia para as telas deste país, foi merecidamente premiado pela TV Cultura. É um trabalho belíssimo, com a personalidade da autora, mas que também diz respeito a algo maior (maior?). Torço para que os próximos obstáculos para a realização desta obra sejam também superados.

    5 comentários:

    Marcelo V. disse...

    Comentário interessante (que corrobora impressões que tive) publicado no blog do Sérgio Alpendre, de alguém que assina Wagner e, pelo que entendi, trabalhou no filme (peço licença para reproduzir um trecho): "Os dois diretores são excessivamente controladores, principalmente a Ju Rojas, e acho que muita coisa podia ficar melhor se eles deixassem. O clima amarrado dos atores vem mais desse 'sufocamento' do que de uma opção de interpretação."

    Fabio Cador disse...

    Olá!

    Quero fazer um convite à você que gosta de Cinema:

    Conhecer a história por trás do maior filme de todos os tempos "E o vento levou..."

    Estou fazendo uma peça teatral em que os personagens David O. Selznick, Ben Hetch e Victor Fleming mostram um pouco dessa loucura que, durante a produção, foi considerado "O maior elefante branco de Hollywood"

    confirme sua presença e deixarei um par de ingressos pra vc na bilheteria

    (depois diga o que achou, queremos muito saber!)

    Abrs

    FÁBIO CADÔR
    @fabiocador

    fabiocador.blogspot.com

    disse...

    Olá! Adorei seu blog, muito criativo! Também tenho um blog e gostaria que vc desse uma olhada. O endereço é: http://www.criticaretro.blogspot.com/ Passe por lá! Lê ^_^

    慢慢來 disse...

    婚姻調查
    調查
    智慧財產權
    大陸二奶
    大陸小三
    台商外遇
    討債
    欠錢不還
    討債公司
    台北徵信社
    桃園徵信社
    高雄徵信社
    台中徵信社
    雲林徵信社
    台南徵信社
    彰化徵信社
    台北偵探社
    桃園偵探社
    高雄偵探社
    台中偵探社
    雲林偵探社
    台南偵探社
    彰化偵探社
    台北徵信公司
    桃園徵信公司
    捉姦

    慢慢來 disse...

    晚情徵信協會全國網
    大愛徵信社
    三立徵信社
    離婚|離婚證人有限公司
    離婚|離婚證人-高雄徵信同業工會
    離婚|婚姻挽回專區
    一品蒐證尋人器材網
    全國女子徵信社
    晚晴徵信
    八大徵信社
    離婚│華納徵信社
    徵信社品質保障關懷協會
    晚晴徵信協會全國網
    溫馨法律諮詢
    劈腿大剖析
    全國優良婚姻挽回
    法律諮詢|免費諮詢華陀
    亞洲徵信總部
    感情挽回全國徵信
    鴻海徵信尋人免費諮詢法律諮詢
    大陸抓姦二奶-法律諮詢社
    三立徵信有限公司
    大愛徵信社
    離婚|離婚證人非凡有限公司
    女人國際徵信社
    中區嚴選聯合徵信網
    女人國際徵信
    大愛徵信有限公司-台中
    婦幼徵信有限公司
    女子偵探徵信團隊
    離婚|外遇觀測站
    法律諮詢|免費諮詢網
    外遇抓猴徵信偵探社
    離婚-感情挽回Q&A諮詢網
    新浪私家偵探社
    離婚|女人徵信社
    離婚|女人私家偵探社
    婚姻挽回│國際聯盟社
    法律諮詢所
    外遇抓姦|女人國際徵信
    女子徵信社
    外遇|抓姦-女子偵探全國入口網
    全國優良女人徵信社

    Na platéia