A gruta é mais extensa do que a gruta

    follow me on Twitter

    quinta-feira, dezembro 16, 2010

    Tenso

    Não sei se foi o relativamente longo período que fiquei longe de uma sala de cinema, de seu poder de envolver com imagem e som, mas fazia um tempo que um filme não mexia tanto comigo fisicamente: durante as mais de duas horas de "Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro", fiquei "na beirada da cadeira", em estado de tensão permamente (como tinha acontecido quando vi um filme muito diferente, "Apocalypto"). Ponto para o José Padilha, esse cineasta tão peculiar (que não se diz artista e aposta numa visão cientificista do mundo, com filmes que parecem defender teses), e sua turma (com Bráulio Mantovani no roteiro e Daniel Rezende na montagem, consagrados com "Cidade de Deus" _ Lula Carvalho havia sido primeiro assistente de câmera de César Charlone; a trilha sonora de Pedro Bromfman também tem mérito), que acabam de bater o tão propalado recorde de público de "Dona Flor e Seus Dois Maridos" e talvez passem da inédita marca de 11 milhões de espectadores.

    Duas proezas ajudam a explicar o desempenho notável: conseguiram coibir a pirataria, que, se por um lado deve ter causado grande prejuízo aos produtores com a obra antecessora, possibilitou que o filme de 2007 se tornasse um evento a ponto de motivar uma sequência; mas o que interessa mesmo é que se trata de um filme muito melhor que o anterior. Também me pareceu muito diferente em alguns aspectos.

    O Capitão Nascimento (agora tenente-coronel, mas a patente nova "não pegou") continua não sendo exatamente um herói. Se no primeiro filme ele aparecia como um covarde (no fundo, quem estava "pedindo para sair" do Bope era ele) e um neurótico, agora ele passa quase todo o filme alquebrado (sempre curvado e com olheiras, aparentando cansaço e desencanto permanentes _ou seja, virou adulto, provavelmente motivado pela paternidade). Ele também evolui do Nascimento do filme anterior (o que critica em sua narração o "intelectual de esquerda maconheiro", discurso que gera delírio na plateia que, especifica o filme, acha que "bandido bom é bandido morto") para alguém que de repente tem como ideia fixa "foder o sistema" (digno de letra do nosso vasto cancioneiro punk rock). Em suma, revela-se um grande ingênuo, um personagem quixotesco.

    O interessante é que Padilha e Mantovani decidiram recorrer ao suspense, o que não ocorria no filme anterior. Com os personagens sem saber o que o espectador sabe, apesar de Nascimento ser o narrador, já coloca o filme em outro nível. Outro aspecto muito bem sucedido do filme é que Nascimento ganha um nêmesis que não apenas é seu oposto, mas o substitui em seu papel familiar (como bem observou a Ana, o Fraga de Irandhir Santos começa o filme com forte sotaque nordestino, que se suaviza após ele entrar para a política).

    Também me chamou a atenção duas frases de um dos vilões mais revoltantes (o mais engraçado é André Mattos, dando uma de Datena _ sei lá quem é o equivalente no Rio), o miliciano Rocha, que fazem ligação com uma das cenas mais famosas de "Cidade de Deus", quando Dadinho vira Zé Pequeno: "Quem foi que disse que o comando é teu?" e "Quem foi que disse que a comunidade é tua?" Ninguém perguntou isso pro Mantovani?

    Somado a tudo isso, temos esse resumo e essa simplificação de uma questão muito complexa, mas atacada com fervor didático e enfático ("A PM do Rio tem que acabar!", fala Nascimento em um dos muitos momentos em que se coloca como representante das vontades muitas vezes furiosas do "povo" _ como a propalada manifestação da plateia de Paulínia, onde o filme estreou, no momento em que um político é espancado de modo não muito diferente da surra que Gene Hackman deu em Richard Harris em "Unforgiven" _na sessão que vi, houve silêncio): da imprensa a Brasília, passando pelo governador do Rio (um ator meio parecido com Sérgio Cabral _ ou com o presidente da Ancine, segundo outra fonte), ele parece não exatamente esgotar a questão, mas dar um grito de revolta, embora também pareça saber que essa indignação no fundo é pueril.

    ***

    Acabamos de acabar a versão mais curta (com 2min30s) de "Rarefactum", documentário que tive a honra de montar e fazer o desenho de som. Parece que ficou lindo, mas sou suspeito para falar. Eu estava mesmo precisando participar de um novo filme _ e agora continuo a precisar de outros. Que venham.

    ***

    E um feliz Natal para todos. Nos vemos por aqui, por ali, por acolá e por aí, neste resto de 2010 _ e, se por um acaso a morte ou o fim da civilização como a conhecemos não chegarem antes, em 2011.

    5 comentários:

    Marcelo V. disse...

    Já dá para ver o teaser de "Rarefactum": http://www.youtube.com/watch?v=e0xlkcC6RTQ

    Anônimo disse...

    Blz Marcelo?
    vi um comentario seu no overmundo, sobre direitos autorais. Estou produzindo um filme e estou com mesmo problema com relacao a trilha. Se puder,
    me escreva abdalla_marcos@yahoo.com.br
    Abraços
    Marcos

    Marcelo V. disse...

    Marcos, eu recomendo que você faça o que eu fiz: associe-se a um compositor para fazer a trilha sonora original.

    慢慢來 disse...

    婚姻調查
    調查
    智慧財產權
    大陸二奶
    大陸小三
    台商外遇
    討債
    欠錢不還
    討債公司
    台北徵信社
    桃園徵信社
    高雄徵信社
    台中徵信社
    雲林徵信社
    台南徵信社
    彰化徵信社
    台北偵探社
    桃園偵探社
    高雄偵探社
    台中偵探社
    雲林偵探社
    台南偵探社
    彰化偵探社
    台北徵信公司
    桃園徵信公司
    捉姦

    慢慢來 disse...

    晚情徵信協會全國網
    大愛徵信社
    三立徵信社
    離婚|離婚證人有限公司
    離婚|離婚證人-高雄徵信同業工會
    離婚|婚姻挽回專區
    一品蒐證尋人器材網
    全國女子徵信社
    晚晴徵信
    八大徵信社
    離婚│華納徵信社
    徵信社品質保障關懷協會
    晚晴徵信協會全國網
    溫馨法律諮詢
    劈腿大剖析
    全國優良婚姻挽回
    法律諮詢|免費諮詢華陀
    亞洲徵信總部
    感情挽回全國徵信
    鴻海徵信尋人免費諮詢法律諮詢
    大陸抓姦二奶-法律諮詢社
    三立徵信有限公司
    大愛徵信社
    離婚|離婚證人非凡有限公司
    女人國際徵信社
    中區嚴選聯合徵信網
    女人國際徵信
    大愛徵信有限公司-台中
    婦幼徵信有限公司
    女子偵探徵信團隊
    離婚|外遇觀測站
    法律諮詢|免費諮詢網
    外遇抓猴徵信偵探社
    離婚-感情挽回Q&A諮詢網
    新浪私家偵探社
    離婚|女人徵信社
    離婚|女人私家偵探社
    婚姻挽回│國際聯盟社
    法律諮詢所
    外遇抓姦|女人國際徵信
    女子徵信社
    外遇|抓姦-女子偵探全國入口網
    全國優良女人徵信社

    Na platéia